Rafael Botelho com Azores Rallye difícil

A prova inaugural do Campeonato da Europa de Ralis, ERC, e do Campeonato dos Açores de Ralis, CAR, e segunda prova pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis, CPR, foi bastante difícil para a Rafa Motorsport.
O Rali organizado pelo Grupo Desportivo Comercial contou com uma boa lista de inscritos, tendo cerca de 60 pilotos à partida e mais de 20 viaturas da tipologia R5.
Ao longo dos três dias de prova do 54º Azores Rallye, Rafael Botelho e Rui Raimundo, imprimiram um ritmo crescente, contudo um mau início de rali comprometeu qualquer possibilidade de uma classificação melhor, uma vez que a dupla perdeu algum tempo nos primeiros dois troços do rali. No segundo dia, sexta-feira, conseguiram rodar sempre nos lugares cimeiros das duas rodas motrizes a nível nacional. Refira-se que na edição deste ano a pontuação para o CAR terminava no final da 1ª etapa.
Rafa e Raimundo, apesar de já terem o resultado finalizado, partiram para o dia de sábado com o objectivo de fazer mais quilómetros nos exigentes troços da ilha de São Miguel, associando a vertente competitiva à vertente promocional, dando assim retorno aos seus patrocinadores pela participação completa no maior eventos desportivo dos Açores e, também, para dar a alegria ao público açoriano de ter um piloto da casa a passar nas especiais de classificação. O dia não foi de todo fácil, não só pelas péssimas condições meteorológicas mas também por um problema de motor que se foi agravando km após km, dificultando muito a progressão da dupla, vice-campeão dos Açores 2RM em 2018. A 350 metros do final da Tronqueira 2, último troço cronometrado do rali e após passagem na conhecida ribeira daquele torço o DS3 desligou-se por mais de 20min, contudo Botelho e Raimundo não baixaram os braços e após vários minutos de intensas tentativas conseguiram recolocar a máquina em movimento, terminando, assim, uma jornada que foi longa, exigente e desafiante, mas que certamente, terá reflexo em participações futuras.
A nível de pontuação, os resultados obtidos na prova Açoriana do ERC, permitiram a Rafa e Rui
a vitória no RC3 – CAR, 2º lugar CAR 2RM, 5º melhores CAR e a Rafa o segundo Açoriano, entre
aqueles que fizeram os mais de 200km de prova.
Para Rafa, “ este foi um rali difícil. Honestamente, entramos muito mal no rali, ao contrário
daquilo que era o nosso objectivo. Perdemos demasiados segundos para poder ter qualquer
possibilidade de lutar pelo lugar do topo. Na sexta-feira conseguimos reduzir a diferença por
km para o líder das 2RM regionais, entrando já no registo da época transacta, e passando de
últimos do nacional para primeiros, embora eu não esteja inscrito no CPR, o Rui está como
navegador e havia o objectivo claro de lhe dar a vitória como no ano passado. Este ano o rali
para o CAR terminou na sexta e contas feitas marcamos os primeiros pontos para o
campeonato, é sempre importante começar o campeonato a alcançar pontos. Terminada
essa primeira parte da nossa participação, fomos para o dia de sábado com o objectivo de
manter a liderança no CPR e continuar a subir lugares na caravana ERC, contudo e, para além
das dificílimas adversidades que o mau tempo provocou, o nosso motor sofreu uma avaria
irreversível que se agrava metro após metro. Foi um sábado de sofrimento, mas nunca baixei os braços e mesmo depois de termos ficados parados no último troço a poucos metros do
fim, conseguimos chegar, mais uma vez, às Portas da Cidade. Quero agradecer todo o apoio
do público, aos meus patrocinadores e família e em especial à minha equipa que fez um
trabalho excelente tentado combater todas as dificuldades. É tempo de preparar o Faial e
espero que voltemos no mínimo ao registo do ano passado.
A caravana do Campeonato dos Açores de Ralis, segue para a 2ª prova, na ilha do Faial, para a
disputa do “XXX Rali Ilha Azul- Além Mar” nos dias 26 e 27 de Abril.

Facebooktwittergoogle_plus

Comments

comments